A corrupção no Estado pós-colonial em África: duas visões literárias

A corrupção está institucionalizada no Estado pós-colonial: Angola e Moçambique são dois exemplos paradigmáticos dessa realidade. O último voo do Flamingo e Jaime Bunda, agente secreto são duas obras literárias dos escritores Mia Couto e Pepetela, que reflectem e denunciam a corrupção.

Estas duas visões literárias corroboram o conceito de Estado neo-patrimonial. A excessiva personalização do poder, o clientelismo e a corrupção são as três grandes características do Estado pós-colonial que desfilam aos olhos do leitor, tornando aqueles textos literários também em importantes documentos sociológicos.

 

Assunto: Corrupção – Angola, Corrupção – Moçambique, Estado pós-colonial – África, Literatura angolana - séc. 20 - Estudos críticos, Literatura moçambicana - séc. 20 - Estudos críticos, Couto, Mia, pseud. - Estudos críticos, Pepetela,, pseud. - Estudos críticos

 

Pode consultar o texto integral em:

https://catalogo.up.pt/exlibris/aleph/a23_1/apache_media/2H37HXCM7UNVK7KVPTD46U6A8C5GKK.pdf

Additional Info

  • Orientador: José Carlos Venâncio
  • Autor: Ana Maria Duarte Frade
  • Ano: 2004
  • Coorientador: António Custódio Gonçalves

R&D Supported by

R&D Unit integrated in the project number UID/HIS/00495/2019.

 

Contacts

Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto
Via panorâmica, s/n
4150-564 Porto
Portugal

+351 22 607 71 41
ceaup@letras.up.pt