An «obsessive idea» – Native Taxation in Northern Mozambique (1926-1945)

 

Índice:
Introduction
1. Northern Mozambique, a taxation reserve?
1.1. Satisfying a “an obsecessive idea”
1.2. Fiscal debits and the limitations of the corvée solution
1.3. Clashing with “the invisible hand”
1.4. Another step further: collective “machambas”
2. Facing rupture
2.1. Tax escaping migration
2.2. Cotton laws in the Northern districts since 1932
Conclusion
Basic Bibliography
Notas

 


Se está registado importe

Documento e Referências


 

Resumo / Abstract

A imposição do imposto indígena foi uma das primeiras manifestações da ordem colonial portuguesa nos territórios africanos. Em geral, todas as administrações coloniais dependeram fortemente deste rendimento, que para as sociedades tradicionais representava um modo muito diferente de demonstrar a legitimidade política. Para muitas destas sociedades, o pagamento do imposto implicava a entrada forçada numa economia monetarizada: uma novidade social perturbadora. Nestes casos - nos quais se inclui o Norte de Moçambique nos primeiros 20 anos depois da ocupação militar - cobrar impostos constituiu uma tarefa difícil, por vezes, impossível. As práticas seguidas pelos níveis inferiores da administração colonial, a quem directamente incumbiam esta responsabilidade no terreno, tornam-se assim particularmente esclarecedoras.
Esta comunicação centra-se não só nas contradições que a pratica fiscal necessariamente desencadeou entre o poder colonial e as autoridades tradicionais africanas mas também nos conflitos entre os diferentes estratos administrativas no norte de Moçambique durante a década de 1930.


Native tax payment was usually the first sign of the colonial order in Portuguese African territories. In general, all colonial administrations depended heavily on this income, which for most traditional societies represented a completely different way of showing political legitimacy. For many of these societies it represented the compelled entry in a monetary economy as a disrupting social novelty. 
Collecting taxes was in this context a difficult and sometimes almost an impossible task imposed on the inferior levels of colonial administration. This paper focus on the clashing interests among colonial and traditional African authorities but also on the conflicts among the different strata of the colonial officers in northern Mozambique in the 1930’s

R&D Supported by

R&D Unit integrated in the project number UID/HIS/0495/2016.

 

Contacts

Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto
Via panorâmica, s/n
4150-564 Porto
Portugal

+351 22 607 71 41
ceaup@letras.up.pt