Inauguro esta primeira revista de 2012, congratulando aquilo que consideramos uma relação de parceria bem sucedida e profícua. Em Janeiro deste ano, no âmbito das celebrações dos 25 anos da ONGD – Leigos para o Desenvolvimento, juntamente com o Centro de Estudos Africanos e a Universidade Católica do Porto, concretizámos um Seminário na cidade invicta, que procurou provocar uma reflexão aprofundada em volta de questões associadas aos valores e ao desenvolvimento, tendo como tela de fundo o “mundo” da lusofonia.

A. I. Voeikov (1842-1916), geógrafo russo, considerava a geografia como uma combinação de 'corpos móveis', que, mobilizados pela superfície terrestre, em cada momento configuravam um arranjo especial que caracterizava um determinado período da história da Terra e da Humanidade. Relativamente obscuro no Ocidente, este geógrafo foi contudo divulgado em língua francesa, nos Annales de Géographie (1901).

O volume 16 da revista Africana Studia tem como tema de dossier Problemas da Habitação em África – Reflexões sobre a África Portuguesa.

Trata-se de um tema estruturante na dimensão africana, dada a premente necessidade básica de habitação e infraestruturação urbana latente em grande parte do território africano. Neste número, damos especial destaque à África de Língua portuguesa.

O volume 11 da revista Africana Studia tem como tema de dossier Comunicação: línguas, rituais e mass-media em África. É um tema interdisciplinar que abrange várias áreas de investigação, como a Antropologia Social e a Linguística Descritiva, as Ciências da Comunicação, a Linguística, (onde, no caso de África, a Crioulística é uma área indispensável), a área interdisciplinar da Análise (multimodal) da Conversação e também a História, explorando aspectos sócio-políticos da comunicação sob o ponto de vista diacrónico.

De um lado temos os ricos, do outro os pobres. «Sempre foi assim, é a história da humanidade», dirão alguns. Talvez, mas é assim quando a Declaração Universal dos Direitos do Homem exige a dignidade de homem, e de cidadão, para todos; quando há mais de meio século se declarou solenemente o combate ao «atraso», à «pobreza», ao «subdesenvolvimento» e se montou uma poderosa indústria da cooperação que engloba toda a panóplia de boas intenções, de declarações e apoios, sábios e políticos, conferências e missões.

Apoio

Unidade I&D integrada no projeto com referência UIDB/00495/2020 (DOI 10.54499/UIDB/00495/2020) e UIDP/00495/2020.

 

Contactos

Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto
Via panorâmica, s/n
4150-564 Porto
Portugal

+351 22 607 71 41
ceaup@letras.up.pt