Moçambique pela sua história

 

Índice:

  • Introdução
  • 1. O Apriorismo ideológico na histografia de Moçambique
  • 2. Senhorio, Escravatura e Tráfico de Escravos
       Portugueses e Africanos nos Rios de Sena.
       Os Prazos da Coroa nos séculos XVII E XVIII
          Donas
          Bibliografia
       Identidade, sexo, idade e profissão das escravaturas de Moçambique no século XIX
          Fontes
          Identidades
          Sexo
          Idade
          Profissão
          Escravaturas na Ilha de Moçambique em 1804
       Testamentos de negreiros e alforria de escravos
          Aringas na margem sul do rio Zambeze
       Como as Aringas de Moçambique se transformaram em Quilombos
          A organização social e política
          Do Mussito e da Aringa ao Quilombo
          Uma releitura de João de Azevedo Coutinho
          Conclusão
       Dos cativeiros tradicionais para o escravismo colonial em Moçambique
          O quotidiano
          A norma
          Conclusão
  • 3. O Estado Colonial Moderno
       O ethos zambeziano
          Ethos ou uma questão identitária
          A nomenclatura
          A literatura
          O tempo e o espaço
          A razão histórica
          A carência de mulheres brancas
          A razão cultural
          Resumo
       O ultimatum na perspectiva de Moçambique. As questões comerciais subjacentes
          Comércio, tráfico de escravatura e ligações com o Transval
          A fragilidade da posição portuguesa no terreno
          Resumo
       O início do século XX e as condições históricas para o exercício da escrita em Moçambique
          O estado colonial moderno
          O jornal «O AFRICANO»
          Resumo
       A imprensa de Moçambique até à independência, 1854 – 1974
          Da fundação à censura prévia
          A imprensa operária
          A imprensa católica
          A Voz Africana
       A Igreja e o fim do império em Moçambique

Referência bibliográfica do livro:

>> Exportação para EndNote, ProCite

>> Exportação em Formato texto

Se está registado importe

Versão Web


Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto (Coord.). 2010. Moçambique pela sua História, José Capela. Colecção Estudos Africanos (6). Porto: Edições Húmus.

 

Prefácio

Em 1971 tive oportunidade de publicar o que terá constituído a primeira expressão escrita de uma certa visão do homem moçambicano por ele próprio, em tempo nevrálgico e especialmente nevrálgico em quanto respeitava à sua afirmação identitária.
(...)
Essa primeira expressão escrita constante de «Moçambique pelo seu povo»1 era, portanto, circunstancial se bem que desenvolvida em momento decisivo para a consolidação dessa mesma identidade. Povo, como todos, com História. Neste caso História em que prevalece uma intensa e sucessiva miscigenação cosmopolitizadora rematada pela colonização escravista-capitalista moderna.
Trabalhos elaborados ao longo de mais de quatro décadas arriscam repetições, se não mesmo contradições interpretativas entre eles. Optei manter a versão inicial em cada texto na convicção de que a evolução que possa ter existido em tais interpretações deixa ao leitor uma maior liberdade de eventual formulação própria. E porque admiti que, ao longo do tempo e do espaço, as mesmas formações sociais se foram acomodando às circunstâncias momentaneamente prevalecentes.

Contactos

Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto
Via panorâmica, s/n
4150-564 Porto
Portugal

+351 22 607 71 41
ceaup@letras.up.pt